7 Dicas práticas de como implementar o feedback!

Competitividade é a palavra da ordem do dia, e por isso precisamos ter uma equipe alinhada e ágil. Mas só será possível se for implementado a cultura do feedback, que permita que os seus colaboradores consigam compreender, com mais assertividade, as áreas importantes do seu negócio.

A prática do feedback pode fazer a diferença na sua equipa

Esta palavra de origem inglesa “feedback”, que entrou recentemente no nosso vocabulário, quer dizer “realimentação”, e cada vez é mais usada no ambiente empresarial.

Esta prática não é nova, existem registos do início no Século XVIII, contudo começou a ser mais conhecida após a Segunda Guerra Mundial. Já se passaram mais de 60 anos e mesmo assim muitas empresas ainda não tem uma cultura de feedback.

Por incrível que pareça, existem gestores que esperam que o colaborador vá bater à porta do seu gabinete para perguntar “Com licença? O senhor tem alguns minutos? Eu preciso fazer uma pergunta: Onde estou a errar? Ou na sua opinião onde posso melhorar?”

Por esse motivo vamos dar-lhe 7 dicas de como implementar a cultura do feedback na sua empresa.

1- Investir tempo na prática do feedback é trabalhar mais no importante, do que no urgente

Parar para conversar no meio da agitação do dia a dia vai parecer que estamos a desperdiçar tempos. Mas por outro lado, isso pode ser exatamente o motivo pela qual a sua empresa apenas trabalha para a gestão diária, e não no que efetivamente é importante.

Qual o tempo que, durante a semana, dispensa para dar feedback à sua equipa? Estabeleça na sua agenda um período de tempo para esta tarefa e cumpra-a religiosamente. Desta forma todos os colaboradores vão compreender que é uma atividade importante.

2- Mantenha um conceito positivo, anule todos os argumentos negativos

Quando, no passado, se falava em feedback soava sempre a críticas e os nossos pais e avós não aceitavam bem essa condição.

Atualmente o paradigma alterou-se e as gerações mais jovens nascem já a pedir feedback. As atuais gerações valorizam esta prática porque compreendem que os vai ajudar no seu crescimento, e por isso o feedback é algo positivo e não negativo.

A forma e o tom como comunica com o seu colaborador também é uma questão muito importante. Imagine o que o seu colaborador vai pensar e sentir quando através do telefone lhe disser, num tom mais duro: “Sr. José, aguardo o senhor na minha sala para lhe dar feedback sobre o seu desempenho, daqui cinco minutos.” Provavelmente utilizando este tom e discurso vai criar tensão no sr. José porque possivelmente pensa que já cometeu alguma falha.

3- Seja assertivo, esteja preparado para a conversa

O momento do feedback é um momento para conversar com seu colaborador sobre o seu desempenho, se ele tem cumprido os objetivos, quais as questões que dificultam o trabalho em equipa e como está a sua comunicação. Portanto, inicie sempre (não se esqueça disso) com os pontos positivos e fortes, e só depois converse sobre os pontos negativos e os fracos que necessitam de melhorar.

Por isso, procure preparar-se como se de importante reunião se tratasse. É um grave erro gerir este processo na base do improviso, pode criar falta de assertividade na comunicação.

4-Esteja preparado para ouvir, evite falar todo o tempo

Podemos tomar conhecimento de muitas ideias, sugestões e até mesmo reclamações importantes nestes momentos. Por isso, aproveite bem o tempo para ouvir e anotar as questões observadas pelo seu colaborador.

Estes momentos de conversa e partilha podem ser momentos chave para recolher dados e informações que que muitas vezes os supervisores e gestores não conseguem identificar. Por mais que a sugestão pareça, ou até mesmo seja irrelevante, incentive sempre a pessoa falar. Praticar o conceito de “chuva de ideias” dentro da empresa sempre é bem-vinda.

5- Procure soluções para os problemas, o alinhamento do como resolver é essencial

Podemos conversar durante horas sobre os problemas que a empresa está a enfrentar. Mas devemos sempre terminar as conversas com propostas de soluções. Muitas das situações que o colaborador está a enfrentar necessita de melhoria e na generalidade das situações não as consegue resolver sozinho.

A prática de como implementar feedback não serve apenas para identificar problemas, mas também para encontrar soluções. Perguntas de “como poderemos resolver isso juntos?”, por exemplo, fazem parte do propósito de melhorias através do feedback.

6- Falar de suas experiências, vai acrescentar muito valor aos seus colaboradores

Tudo que aprendemos de positivo, que nos ajudou a crescer e sermos quem somos. Falar de si mesmo dá vida à conversa, além de quebrar o gelo. Aprendendo como implementar feedback, compreendemos que cada pessoa da nossa empresa é importante e que pode contribuir de forma efetiva para os resultados esperados.

7- Investir em formação, comece a prática do feedback de cima para baixo

O primeiro passo deve ser começado pelos gestores, supervisores e líderes. É importante que estes estejam preparados para aplicar a cultura do feedback e para isso, que tenham sido preparados e formados para cumprir este propósito. Dificilmente um superior que não recebe feedback, saberá aplicar bem esta prática com sua equipa.

Tipos de perfil

Saber identificar e lidar com vários tipos de perfil pode ser um pouco mais complexo, mas é importante na prática de como implementar feedback. Alguns colaboradores falam pouco, outros são mais observadores, uns são mais rápidos na execução, outros aplicam o lema de fazer uma coisa de cada vez. Se pretende ser um bom conhecedor do seu negócio fale com o seu colaborador. Enquanto todos estão envolvidos na gestão diária da empresa, o seu colaborador consegue parar, analisar e fazer o que tem que fazer, mas, o problema dele é não ser otimista, contudo é um ótimo analista de riscos.

Portanto, aposte na formação que lhe dê ferramentas que o ajude a identificar e a lidar com os diferentes perfis de colaboradores, sendo consciente que cada colaborador tem a sua forma própria de receber um feedback.

Extrovertido

Algumas pessoas são mais extrovertidas e mais comunicativas. Por outro lado, tem tendência a tratar dos assuntos profissionais com demasiada informalidade e descontração, tendo depois dificuldade em considerar o feedback como um assunto sério. Têm também dificuldade de terminar o que começam, por exemplo cursos, estudos e projetos. Por norma, é uma pessoa popular e reconhecida dentro da equipa, não falta às festas da empresa, a sua motivação é tão intensa que move toda a equipa.

Perfeccionista

Outros são mais perfeccionistas.  Nasceram líderes, tem dificuldade de trabalhar com críticas e em equipa, até porque o seu autojulgamento é muito crítico. Já nestes casos o foco está nos resultados e movem-se por elogios. Sendo assim, a falta de reconhecimento será sempre algo muito desmotivante para este tipo de perfil.

Criativos

Por fim, podemos referi os mais criativos do grupo. São aqueles que se entregam realmente num projeto de corpo e alma. Importante é trabalhar sempre a sua motivação, pois só faz sentido estar naquela função se sentir feliz. O feedback poderá ter efeitos negativos se não abordar de forma mais assertiva.

Agora está munido dos conhecimentos essenciais que lhe permite compreender porque é tão importante implementar a cultura de feedback na sua empresa. É importante, também, compreender o perfil de cada colaborador.

Se gostou destas sete dicas, aproveite a oportunidade e implemente já o feedback na sua empresa, os seus colaboradores é o seu maior “património”.

Quer saber mais? Então, agora, descubra como acompanhar a equipa através da gestão de feedback.

Compartilhe esse post nas suas redes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Search
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Últimos Posts

Newsletter

Increva-se na nossa Newsletter

Galeria